Onde Passear?

CASA-MUSEU DE CAMILO CASTELO BRANCO

Escritor português (Lisboa, 16.3.1825 – São Miguel de Ceide, 1.6.1890).

Considerada a maior memória viva de Camilo, a Casa de Seide ganhou um significado histórico e fundamental importância para o conhecimento profundo da vida e da obra do escritor, constituindo cada visita um convite renovado à leitura de Camilo e uma aposta na perenidade da cultura e da Língua Portuguesa de que a sua obra constitui uma afirmação tão singular.

A Casa, designada de Camilo por nela ter residido este vulto da literatura portuguesa, foi mandada construir por Manuel Pinheiro Alves, primeiro marido de Ana Plácido, por volta de 1840, quando este regressou do Brasil na posse de avultada fortuna. Camilo Castelo Branco viveu nesta moradia cerca de 26 anos, desde o inverno de 1863 até ao seu suicídio, em 1890.

O acervo camiliano é constituído por diverso mobiliário que pertenceu a Camilo Castelo Branco e à sua família nuclear; utensílios de uso pessoal; mais de 3500 volumes de bibliografia passiva; 787 obras pertencentes à biblioteca particular do escritor; cartas, de e para Camilo; recortes de imprensa de teor camiliano; várias dezenas de exemplares de periódicos em que Camilo colaborou ou foi Diretor; e aproximadamente 1000 peças de iconografia diversa: escultura, pintura, entre outras. Mais do que uma simples coleção de objetos, é um acervo vivencial de um dos maiores génios da Literatura Portuguesa, nomeadamente da obra “Amor de Perdição”.

 

CENTRO PORTUGUÊS DE SURREALISMO

Vila Nova de Famalicão é a capital do Surrealismo Português. Aqui encontram-se mais de três mil obras ligadas ao surrealismo pertencentes a mais de 130 artistas, entre os quais se destacam Carlos Calvet, Carlos Eurico da Costa, Cruzeiro Seixas, Eurico Gonçalves, Júlio dos Reis Pereira, Manuel D’Assumpção, Mário Botas, Mário Cesariny, Mário Henrique Leiria, Pedro Oom, Risques Pereira e outros.

A casa do surrealismo em Portugal representa o trabalho executado pela Fundação Cupertino de Miranda, que alberga aquela nova valência cultural, inaugurada com a exposição “O Surrealismo na Coleção Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian”.

 

MUSEU DA INDÚSTRIA TÊXTIL

O Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave foi fundado em 1987 como um projeto de investigação em arqueologia industrial. Para além de apresentar uma síntese da evolução histórica da industrialização na região, e uma particular ênfase nas experiências de trabalho das pessoas, nomeadamente na indústria algodoeira, este Museu expõe uma fascinante coleção de máquinas em funcionamento com origem entre o século XIX e século XX, provenientes de França, Inglaterra, Espanha e EUA.

 

MUSEU BERNARDINO MACHADO

Bernardino Machado – que foi presidente da República Portuguesa por duas vezes e uma das principais figuras da I República – foi um famalicense por adoção. Nasceu no Rio de Janeiro, no Brasil, mas ainda não tinha completado nove anos, quando veio com a família para Portugal, fixando-se em Vila Nova de Famalicão.

O majestoso Palacete Barão da Trovisqueira, residência do Museu Bernardino Machado, dignifica a memória do ilustre estadista e confere ao visitante o contacto com a beleza da edificação abrasileirada erigida na segunda metade do século XIX. Para além da exposição permanente que retrata as várias facetas de Bernardino Machado como o Homem, o Pedagogo, o Cientista e o Político, o Museu também disponibiliza à consulta, um dos acervos mais ricos e significativos para o estudo da história da 1ª República.

 

MUSEU NACIONAL FERROVIÁRIO NÚCLEO DE LOUSADO

O Museu Nacional Ferroviário de Lousado está localizado junto à atual estação de comboios, o que permite fazer uma ligação histórica entre o passado e o presente.

Aqui vai encontrar verdadeiros tesouros dos caminhos-de-ferro nacionais e redescobrir a história da ferrovia em Portugal, através de um legado com mais de 100 anos.

 

PARQUE DA DEVESA

Uma visita ao Parque da Devesa, inaugurado em 2012, com 23 hectares, pode revelar-se um verdadeiro sortido de experiências e sensações. Para além da vertente desportiva que o parque proporciona, um simples e relaxante passeio permite observar uma grande diversidade de espécies animais e vegetais. Localizado na cidade de Vila Nova de Famalicão o parque é um convite permanente à fruição da natureza.

 

 

Breve Nota sobre a História local:

Com uma rica e variada tradição cultural, que remonta aos tempos pré-históricos, a comunidade famalicense possui castros no cimo dos montes, pontes históricas, e outros locais que assinalam a presença de povos ancestrais. No entanto, foi através do Foral de D. Sancho I, assinado a 1 de julho de 1205, que Vila Nova de Famalicão passa a ter uma importância mais demarcada.

Os usos e os costumes do amanho da terra, a riqueza do artesanato e da gastronomia, desde a mais tradicional à cozinha de autor, e a dinâmica cultural local são um testemunho vivo de uma comunidade que constrói o futuro a cada momento

Vila Nova de Famalicão, situada no Norte de Portugal, é uma cidade reconhecida nacional e internacionalmente pelo seu forte potencial industrial. O desenvolvimento local muito se deve à industrialização da região, que se iniciou em meados do século XIX, com a cultura do linho e do algodão. Vila Nova de Famalicão continuou a ser reconhecida como um importante núcleo de atividade industrial, principalmente têxtil. Nos dias de hoje, para além da indústria têxtil, Vila Nova de Famalicão tem um peso muito significativo da indústria agroalimentar, da metalomecânica e dos componente para automóvel, onde demonstra uma grande capacidade de inovação, através de uma indústria dinâmica e variada, com um elevado volume de exportações que lhe assegura um saldo positivo da balança comercial, afirmando-se como o 3º concelho mais exportador de Portugal, e principal economia da zona Norte.