Oferta de 1 livro editado pela intervenção (à escolha) em inscrições até 31 de Março de 2023 Inscreva-se Já

28, 29 e 30 de abril 2023
Auditório da Escola Superior de Ciências Empresariais de Valença

Congresso Transfronteiriço

Associativismo e Animação Sociocultural: reflexões e inquietações à volta da educação, autonomia, participação, voluntariado e cidadania. Auditório da Escola Superior de Ciências Empresariais de Valença

Congresso acreditado pelo Conselho Cientifico-Pedagógico da Formação Contínua.  Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119551/23.
Para efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º,  do regime jurídico da formação contínua de Professores

Agenda

Abertura do Secretariado
Receção a conferencistas e congressistas

Antecede a Sessão de abertura um momento cultural a ser levado a cabo por um grupo local.

Sessão de Abertura

Presidida pelo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Valença

Momento Musical

AMFV – Academia Música da Fortaleza de Valença

Conferência Inaugural

Professor Doutor António Sampaio da Nóvoa (natural de Valença) – Professor Catedrático da Universidade de Lisboa, ex-Reitor, ex-Canditato a Presidente da República. Foi ainda: consultor para a Educação na presidência da República do Doutor Jorge Sampaio, Presidente da Comissão Organizadora das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. É membro do Conselho de Estado.

Associativismo e Educação

Apresenta o Senhor Professor Doutor António Sampaio da Nóvoa, o Senhor Presidente da Câmara Municipal de Valença.

marcelino lopes

Painel I

Associativismo, cidadania e participação

Coordenação:

Professor Doutor Marcelino de Sousa Lopes

Laços entre Nós – Olhares em torno da educação cidadã no sentido do desenvolvimento humano solidário

Professora Doutora Cristiana Pizarro Madureira – Instituto Politécnico de Leiria

Resumo: Esta comunicação pretende valorizar a educação para a cidadania democrática e para os direitos humanos, em que a solidariedade emerge como forma de promover o desenvolvimento humano, pondo em comunhão a pedagogia da convivência e do afeto em contextos socioeducativos globais. Para o efeito, centra-se na valorização e na partilha de práticas de intervenção socioeducativa promotoras da participação solidária e da interação entre comunidades que, embora distantes geograficamente, partilham um forte compromisso humano e solidário.

A Animação Sociocultural na (re)construção da Participação Social, do Desenvolvimento e da Cidadania

Professora Doutora Filipa Coelhoso – Instituto Superior de Ciências Educativas

Resumo: A promoção do desenvolvimento e da coesão social implica processos de participação social ativos, ajustados e promotores de competência e autonomia. Em tempos sociais especialmente desafiantes, emerge valorizar o papel da animação sociocultural na (re)construção de cidadanias e dos seus cidadãos e cidadãs. O desafio é complexo, os caminhos de transformação exigentes, o desígnio a qualidade de vida de todos/as.

Desenvolvimento sustentável: as aldeias como laboratório para a qualidade de vida

Professor Doutor J. Bernardino Lopes – UTAD / Associação para o Desenvolvimento de Justes

Resumo:As aldeias podem tornar-se numa referência para o desenvolvimento sustentável. Uma referência para as pessoas com uma vida citadina e para modos de vida em maior proximidade com a natureza e com os ritmos biológicos dos seres vivos incluindo o ser humano. Uma aldeia pode tornar-se um laboratório vivo com pessoas, atividades produtivas, animação social, cultural e turística, serviços e com uma singularidade própria. Nesta comunicação será relatado como se está a desenhar villageLAB, um projeto para criar uma dinâmica social, cultural e económica impactante que empodere os participantes e ofereça uma referência para a qualidade de vida. Este projeto prevê articular, numa dinâmica de partilha intergeracional, a agricultura biológica, o turismo sustentável, a preservação dos saberes tradicionais, a valorização do património arqueológico e histórico e a criação cultural.

Associativismo digital, participação, cidadania e transformação social

Professor Doutor Mário Viché – Universidade de Valência

Resumo: A comunicação visa analisar as dinâmicas comunicativas e identitárias que compõem tanto as cibercomunidades como a criação de redes associativas que contribuam para o reforço da ação das associações. Quais são as dinâmicas de participação no ciberespaço definindo a cidadania digital desde a educação, a identidade e ativismo digital. O texto é complementado por exemplos concretos de ações sociais transformadoras.

carecem de inscrição prévia, gratuita, para congressistas. Só funcionam as oficinas com um mínimo de 10 e um máximo de 20 participantes

marcelino lopes

conferência temática I

Associativismo e Animação Sociocultural – espaços de educação, cidadania, autonomia e desenvolvimento.

Proferida proferida pelo Professor Doutor Marcelino de Sousa Lopes – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (Professor Aposentado).
Apresenta o conferencista o Dr. José Dantas Lima Pereira.

Resumo: Vamos indagar e refletir sobre o associativismo de associados que mobiliza vontades e se reflete como um espaço de proximidade, de partilha, de autonomia, num referencial pedagógico rumo a uma cidadania plasmada numa ação e interação feitas por Mulheres e Homens livres, solidários, críticos, isto é cidadadãos com cidadania ativa. Também vamos peocurar comprovar a similitude existente entre Animação Sociocultural e Associativismo.

conferência temática II

Educação, Cidadania e Associativismo local

Proferida pelo Professor Doutor Bravo Nico – Universidade de Évora,
Apresenta o conferencista a Professora Doutora Cristiana Pizarro Madureira.

Resumo: O exercício dos direitos e deveres de cidadania é um empreendimento individual e coletivo que pressupõe um processo de aprendizagem no qual as instituições da sociedade civil são contextos fundamentais nos territórios e nas comunidades. As associações são, assim, verdadeiras escolas fora da escola, nas quais se edificam percursos de cidadania baseados na participação e na responsabilidade social.

Tunesce -Tuna da ESCE

Painel II

Projetos, experiências e práticas associativas

Coordenação: Mestre Sónia Nogueira

Professora Doutora Maria Lopes de Azevedo

Universidade Popular do Porto: uma experiência de associativismo comunitário

Professora Doutora Maria Lopes de Azevedo – Instituto Politécnico de Portagre

Resumo: A comunicação visa trazer à colação o papel do associativismo como instrumento endógeno na estimulação da intervenção comunitária, através do exemplo de uma Universidade Popular. Procuramos igualmente refletir sobre a atividade desenvolvida pela referida Universidade, com e para a comunidade, traduzindo-se num espaço de educação informal da partilha de saberes e práticas de educação ao longo da vida.

Importância histórica do associativismo Ibérico. O papel das associações no tempo de lazer: educação, política informal e apoio social, 1835-2023.

Professora Doutora María Zozaya-Montes – Investigadora contratada no CIDEHUS-Universidade de Évora

Resumo: Esta análise revela a importância histórica das atividades associativas desde o seu início, entre 1835 e 1900. Faz uma panorâmica do associativismo português e espanhol, como realidades paralelas e semelhantes. Mostra as formas como o associativismo conseguiu apoiar as carências e necessidades dos cidadãos no passado. Destaca na atualidade a difícil sobrevivência de muitas das associações históricas e evidencia diversos modelos de gestão.

Uma experiência em África de Voluntariado Social

Dra. Sara Rueeg – Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar

O Teatro do Oprimido e a Investigação-Ação: um olhar da prática

Mestre Ana Patrícia Félix Ribeiro – Universidade do Porto

Resumo: Reconhecendo as semelhanças entre a metodologia de Investigação-Ação Participativa e o Teatro do Oprimido, enfatizam-se a valorização do saber popular, do conhecimento experiencial e do envolvimento e organização horizontal dos participantes, na construção da realidade e na produção de conhecimento.

Protagonismo juvenil e prática de mediação de leitura em um projeto de preparação para o mercado de trabalho com jovens de um bairro periférico em São Paulo

Turismóloga Ana Patrícia Rodrigues Sartori – Educadora de jovens em comunidades na zona sul de São Paulo/ Brasil

Resumo: O protagonismo juvenil, a participação comunitária e a preparação do jovem para o mercado de trabalho são o foco desta apresentação. O Projeto Mudando a História trata-se da parceria entre a Fundação Abrinq e a Ação Comunitária do Brasil, que visou a formação de adolescentes mediadores de leitura para crianças de escolas de suas comunidades. O projeto vem de encontro à formação do jovem, melhorando sua participação, capacidade de comunicação, exercicio da cidadania por meio de técnicas de animação sociocultural.

Os centros sociais e de convívio: O desenvolvimento comunitário local

Professora Doutora Manuela Pereira – CICS.NOVA – NOVA-FCSH e REDE Desigualdades

Resumo: O contexto e a apresentação do presente capítulo inserem-se no âmbito do Congresso Internacional-Associativismo e Animação Sociocultural: reflexões e inquietações à volta da educação, autonomia, participação, voluntariado e cidadania, e é desenvolvido a partir de um Projeto de Investigação, em curso, intitulado: A Educação e a Formação de Adultos-Redes de Laços Sociais e Confiança nos Centros: Social e de Convívio.

Painel III

Associativismo, autonomia, voluntariado e desenvolvimento

Coordenação: Professora Doutora Cristiana Pizarro Madureira

Dr. Albino Viveiros

Associativismo, voluntariado e animação sociocultural: os andaimes da cidadania participativa

Dr. Albino Viveiros – Camara Municipal do Machico

Resumo: O movimento associativo é uma escola de cidadania e democracia, uma plataforma social de aprendizagens não formais e informais que privilegia o sentido de liberdade, a cidadania e a participação como apanágios da convivência cívica. O voluntariado é o rosto do protagonismo cidadão materializado na ação das coletividades. O associativismo e a animação sociocultural como pedagogia participativa sãos contribuintes da democracia participativa.

Associativismo como espaço de educação intergeracional

Mestre Daniela Afonso Mendes – UTAD / Residência Montepio de Albergaria-a-Velha.

Resumo: Nas sociedades contemporâneas registam-se mudanças e transformações significativas que afetam as relações de intergeracionalidade nomeadamente, o cenário demográfico, o envelhecimento da população, alterações a nível social, cultural e das organizações. Por conseguinte, pretendemos neste artigo, apelar à praticidade do associativismo como exercício de uma educação intergeracional com o objetivo de suprimir obstáculos que separam as gerações através do diálogo construtivo, da responsabilização e intervenção dos cidadãos nas várias esferas da vida social contribuindo para o exercício da cidadania ativa.

Asociaciones musicales. Propuestas activas para la equidad social

Professora Doutora Vicenta Gisbert – Universidad Autónoma de Madride

Resumo: Se presenta una propuesta desarrollada en la isla de Tenerife, Islas Canarias (España). La música, en general, ha resultado una disciplina limitante para sectores de la sociedad con menores recursos económicos, algo que los proyectos musico-sociales están contribuyendo a reducir. Surgió a comienzos de 2013 una asociación musical fruto del interés en proporcionar aprendizaje musical a centros infantiles ubicados en zonas de escasos recursos.

Igualdade de Género e Participação

Dra. Sancha de Campanella – Doutoranda em Ciência Económicas e Empresariais, Master em Direção Comercial e Marketing, Licenciada em Direito.

Resumo: A presente comunicação visa promover uma análise jurídica de reflexão da igualdade de género, bem como dos resultados sociais das políticas legislativas e governamentais, com apresentação de dados estatísticos ao nível da participação política, social e associativa da mulher em Portugal. A Igualdade de género é um direito humano consagrado na DUDH, sendo essencial para o desenvolvimento da sociedade e participação plena de todas as pessoas. A igualdade de género tem consagração constitucional e é um dos objetivos de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 estipulada pela ONU.

conferência temática III

Participación no associativismo das Mulheres no meio rural

Proferida pela Professora Doutora Alicia González Barreiro – Universidade de Vigo,
Apresenta
a conferencista o Dr. Jorge Ribeiro Areias – Município de Valença.

Resumo: Nesta comunicação/artigo vamos relevar o contributo das mulheres no ambiente rural o associtivismo. Analisamos as dificuldades que a burocracia e o declive poblacional rural implicam para o funcionamento das pequenas entidades, mostrando a força asociativa como uma fonte de bem-estar e melhora dos escassos recursos de animação e educativos dos que dipón o âmbito rural.

conferência temática IV

Associativismo Juvenil, realidades e perspetivas

Proferida por Sua Excelência o Senhor Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Dr. João Paulo Correia.
Apresenta
o conferencista o Dr. Óscar Silva – Município de Valença.

Dr. Albino Viveiros

conferência temática V

Promoción del asociacionismo através de la animación sociocultural

Proferida pelo Professor Doutor Victor Ventosa,
Apresenta
o conferencista o Dr. Albino Viveiros.

Resumo: La comunicación propuesta, tiene por objeto analizar las relaciones entre el asociacionismo y la animación sociocultural, describiendo cómo se puede utilizar la metodología de esta última disciplina como medio para crear y fortalecer el tejido social, especialmente a nivel local. Para ello se expondrán algunos modelos de intervención a través de ejemplos concretos de experiencias exitosas de promoción asociativa (tanto municipales como comunitarias) , algunas de cuyas técnicas se trabajarán de una manera práctica y grupal en el taller/oficina de técnicas participativas de ASC.

Alma Nostra – Associação Luar do Minho

Painel IV

Associativismo, animação sociocultural e intervenção social, cultural e educativa

Coordenação: Dr.ª Sara Ruegg

O associativismo como estratégia e âmbito de intervenção em animação sociocultural

Professor António Leal – Escola Superior de Educação de Coimbra

Resumo: O associativismo permite aos indivíduos e comunidades unirem-se em torno de interesses e objetivos comuns e de cooperarem juntos para os alcançar. Contribui para o desenvolvimento de habilidades e competências valiosas, como contribui para o desenvolvimento humano e comunitário, ao promover a coesão e participação social. O associativismo é por isso, um dos processos para a concretização da animação comunitária.

Professora Doutora Ana Lopes – Instituto Politécnico da Guarda

Animação Territorial, Associativismo e Desenvolvimento Comunitário

Professora Doutora Ana Lopes – Instituto Politécnico da Guarda

Resumo: O território, entendido como uma construção social, é a base de qualquer política de desenvolvimento comunitário. No entanto, a sua concretização só é sustentável havendo a participação dos seus ativos mais valiosos que são as pessoas. Neste sentido o associativismo reveste-se de particular importância, na mobilização e coesão das comunidades, em torno de objetivos comuns, tornando-as protagonistas e agentes do seu próprio desenvolvimento.

Associações de Estudantes e Educação Inclusiva: Práticas e Perceções

Mestre Maria Joana Soares de Almeida – Professora de Educação Especial com intervenção nas áreas de Perturbações do Espetro do Autismo

Resumo: As associações de estudantes assumem-se como espaço fundamental na integração dos alunos na comunidade educativa. Têm, como um dos objetivos, promover e ampliar atividades de cooperação, entreajuda de modo a que todos os alunos se possam sentir apoiados, aceites e incluídos. É no seguimento desta premissa que surge a necessidade de compreender quais as perceções e práticas existentes dentro domínio da Educação Inclusiva.
Nesta conferência pretendo mostrar, através de um exemplo prático, as perceções dos alunos de 3ºciclo e Secundário sobre boas práticas na inclusão social de alunos identificados com Necessidades Educativas especificas; e o impacto e importância das Associações de Estudantes no ampliar destas boas práticas/práticas pertinentes.

Associativismo, Animação Sociocultural, Educação e Voluntariado

Mestre Fernanda Cunha – Professora do Agrupamento de Escolas de Arcozelo / Dr. José Dantas Lima Pereira – Professor, Ator e Encenador

Resumo:  O associativismo permite aos indivíduos e comunidades unirem-se em torno de interesses e objetivos comuns e de cooperarem juntos para os alcançar. Contribui para o desenvolvimento de habilidades e competências valiosas, como contribui para o desenvolvimento humano e comunitário, ao promover a coesão e participação social. O associativismo é por isso, um dos processos para a concretização da animação comunitária.

O associativismo artístico informal como veículo de coesão comunitária e participação ativa.

Mestre Luís Carvalho – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Resumo:  Considerando o movimento associativo uma escola de cidadania participativa e um veículo de aprendizagem cultural, educativa e social, pretendemos com o presente artigo realizar uma abordagem às práticas associativistas artísticas informais, estas que permitirão o reforço e a aquisição de competências valiosas para a vida comunitária, para além de serem espaços privilegiados de socialização, construção de identidade e de animação dos tempos livres.

Painel V

Associativismo, território e intervenção comunitária

Coordenação: Dr. Fernando Ribeiro

Dinâmicas Associativas em Territórios Rurais: o caso de Tondela

Professor Doutor Artur Cristovão / Professor Doutor Armando Loureiro – UTAD

Resumo: As organizações da sociedade civil são um elemento fundamental na promoção do desenvolvimento, particularmente ao nível local, onde se tem assistido à emergência de abordagens participativas, envolvendo autarquias, associações e outros atores. Nesta comunicação analisa-se o caso particular de um concelho do centro de Portugal, Tondela, onde o associativismo social, cultural e recreativo, com grande expressão nas freguesias rurais, tem história para contar e revela forte energia.

A animação sociocultural em contexto associativo: Uma análise reflexiva a partir de práticas comunitárias

Professora Doutora Jeny Sousa / Doutoranda Ana Fontes – Instituto Politécnico de Leiria

Resumo: A presente comunicação pretende analisar o papel da animação sociocultural em contexto associativo, a partir da partilha de um conjunto de experiências e boas práticas comunitárias. Serão trazidos para reflexão aspetos como o papel do associativismo e da animação sociocultural enquanto elementos potenciadores de envolvimento participativo, educação comunitária, cidadania ativa e desenvolvimento humano.

O avanço do nível de participação e associativismo de um grupo de catadores de material reciclável em de itaú de minas – minas gerais Brasil

Pedagoga Deise Rodrigues Sartori – Centro de Desenvolvimento Comunitário, da Ação Comunitária do Brasil – São Paulo

Resumo: A comunicação/artigo tem como foco a construção do trabalho colaborativo como na identificação, valorização, aprimoramento de capacidades individuais e que ao se conectarem podem tornar-se em potencial a serviço de ações comunitárias. Essa perspectiva considera a pessoa como centro das ações e prevê uma intervenção que por meio de vivências grupais e comunitárias possibilitam a reflexão, a mudança de olhar e postura em relaçao a si mesmo, ao grupo, à comunidade.

Associativismo, educação, comunidade e espaço público

Professor Doutor Joaquim Escola – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro / IF da Universidade do Porto

Resumo: Num momento em que nas sociedades mais desenvolvidas se questiona as dificuldades de relação, o crescente isolamento e afastamento entre as pessoas nas grandes cidades, o menor envolvimento dos cidadãos nas causas e nas coisas públicas parece ser importante e urgente reflectir de novo sobre o associativismo e a educação, no que são hoje os desafios que se lhes colocam, particularmente no que respeita à tarefa de promover as relações entre todos, a fortalecer o sentido de pertença e de comunidade, a desenvolver o sentido de autonomia e de compromisso, sempre na defesa do bem-comum e do espaço público.

“A Educogenia de Pierre Furter – A Comunidade também educa”.

Coordenação: Professor Doutor Marcelino de Sousa Lopes.
Intervenções:
– Professor Doutor Joaquim Escola – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro que apresenta o livro e profere uma análise crítica do mesmo;
– Professor Doutor José António Caride e Professor Doutor Mário Viché, coautores do livro fazem uma abordagem sobre os propósitos da obra.

conferência Livre

Relatos de uma vida vivida e por viver à volta do teatro, cultura, gestão, educação, associativismo e cidadania

Proferida pelo Professor Doutor Carlos Fragateiro – Universidade de Aveiro.
Apresenta o Professor Doutor Carlos Fragateiro, o Dr. José Dantas Lima Pereira.

Homenagem ao Professor Doutor Carlos Fragateiro

pelo seu notável percurso de vida em prol do desenvolvimento social, cultural e humano. Intervenções sobre o Homenageado.

conferência de Encerramento

Associativismo, Animação Sociocultural, Cidadania e Direitos Humanos.

Proferida pelo Doutor José António Caride Gomez, Professor Catedrático da Universidade de Compostela
Apresenta o conferencista o Professor Doutor Marcelino de Sousa Lopes.

Professora Doutora Maria Lopes de Azevedo

Leitura das conclusões do Congresso

Entrega de Diploma de participação

Professora Doutora Cristiana Pizarro Madureira e Professora Doutora Maria Lopes Azevedo

Sessão de Encerramento

Presidida pelo: Senhor Presidente da Câmara Municipal de Valença.

*  Programa sujeito a alterações 

Preços

Profissional

Carece de Comprovativo
50,00
  • Mesas Redondas
  • + de 40 Sessões
  • 14 Workshops/Oficinas
  • + de 30 Oradores
  • Certificado de Participação
  • Material de Apoio: pasta, programa, livro do congresso, cartão de identificação, bloco de notas, caneta...

Estudante

Carece de Comprovativo
30,00
  • Mesas Redondas
  • + de 40 Sessões
  • 14 Workshops/Oficinas
  • + de 30 Oradores
  • Certificado de Participação
  • Material de Apoio: pasta, programa, livro do congresso, cartão de identificação, bloco de notas, caneta...
+ Popular

Desempregado/Reformado

Carece de Comprovativo
30,00
  • Mesas Redondas
  • + de 40 Sessões
  • 14 Workshops/Oficinas
  • + de 30 Oradores
  • Certificado de Participação
  • Material de Apoio: pasta, programa, livro do congresso, cartão de identificação, bloco de notas, caneta...

Grupo de Estudantes

15 a 19 alunos
25,00
  • Mesas Redondas
  • + de 40 Sessões
  • 14 Workshops/Oficinas
  • + de 30 Oradores
  • Certificado de Participação
  • Material de Apoio: pasta, programa, livro do congresso, cartão de identificação, bloco de notas, caneta...

Pack Empresas

5 Profissionais
200,00
  • Mesas Redondas
  • + de 40 Sessões
  • 14 Workshops/Oficinas
  • + de 30 Oradores
  • Certificado de Participação
  • Material de Apoio: pasta, programa, livro do congresso, cartão de identificação, bloco de notas, caneta...

Pack Empresas

10 Profissionais
350,00
  • Mesas Redondas
  • + de 40 Sessões
  • 14 Workshops/Oficinas
  • + de 30 Oradores
  • Certificado de Participação
  • Material de Apoio: pasta, programa, livro do congresso, cartão de identificação, bloco de notas, caneta...

Sobre a Região

Valença

Conhecer a Fortaleza de Valença, é percorrer as memórias de 2000 anos das páginas mais marcantes das aventuras históricas de Portugal e Espanha.
Uma joia da arquitetura militar abaluartada, com 5 Km de muralha, uma Fortaleza Viva e multicultural.
O casario, as construções militares, as igrejas, as vistas para o rio Minho, a antiga ponte metálica e Tui medieval completam-se num quadro singular.
Valença, bastião militar da defesa da independência de Portugal é, hoje, um espaço aberto ao mundo e símbolo das relações entre Portugal e Espanha.
A Fortaleza e os sabores únicos da gastronomia com o bacalhau, os vinhos e a doçaria são um convite irresistível a sentir Valença.

Fonte: Visit Valença

Oradores

Comissões

Comissão Científica
Presidente da Comissão Cientifica
Professora Doutora Maria Luísa Monera

Olmos-Universidade de Valência

Doutorada em Ciências da Educação pela Universidade de Valência. Licenciada em Psicologia pela Universidade Complutense de Madrid. Professora de Didática e Organização Escolar na Universidade de Valência, onde atualmente é Professora Sénior. Investigou e participou em congressos nacionais e internacionais sobre Tempo Livre e Animação Sociocultural nas décadas de 1970 e 1980. Pioneira e promotora em Espanha dos estudos de Animação Sociocultural e Educação em Tempo Livre com a sua tese “O problema dos ócios juvenis”, 1971 (Prémio Extraordinário) e a sua tese de doutoramento “Bases para uma Animação Sociocultural em Tempo Livre”, 1979. Docente nas Escolas de Formação de Monitores do Tempo Livre e Animadores Socioculturais da Comunidade Valenciana, ministrou cursos, conferências, comunicações e publicou artigos e capítulos de livros sobre Animação Sociocultural e sobre Didática e Organização Escolar. Participou em várias estadias de investigação de _âmbito francófono.

Professor Doutor António Alcántara

Universidade de Barcelona

Profesor de la Facultad de Educación de la Universidad de Barcelona (UB). Educador Social con un máster universitario en Intervenciones Sociales y Educativas (UB). Especializado en juventud, participación, acción comunitaria y circo social. Actualmente, desarrolla su labor principal en La Periférica, entidad especializada en participación, acción comunitaria y transformación social y educativa. Forma parte del Grupo de Investigación Universitaria sobre Pedagogía Social (UB), de la Coordinadora por la Animación Sociocultural de Catalunya (CASC_CAT) y del equipo pedagógico del Ateneu Popular 9Barris. Colabora habitualmente con entidades y diversas administraciones públicas. Ha realizado diversas investigaciones y ha escrito diferentes artículos y libros sobre sus especializaciones. Es autor del blog Educación Transformadora.

Professor Doutor António Calha

Instituto Politécnico de Portalegre

Licenciado em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (1998) e Doutorado em Sociologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (2016). Publicou vários artigos nas áreas da educação, saúde e envelhecimento em revistas referenciadas pela ISI Web of Knowledge (Thomson Reuteurs) e pela Scopus (Elsevier). Colabora com várias revistas nacionais e internacionais na qualidade de membro do conselho editorial e de revisor científico.

Professor Doutor António Manuel Fonseca

Universidade do Porto

Professor Catedrático de Psicologia do Desporto da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP). Diretor do Centro de Investigação, Formação, Inovação e Intervenção em Desporto (CIFI2D) e do Programa Doutoral em Ciências do Desporto (PD-CD) da FADEUP, bem como Coordenador do Gabinete e do Laboratório de Psicologia do Desporto da FADEUP. Apresentou mais de 200 comunicações ou conferências em Congressos internacionais e publicou mais de 150 artigos, capítulos ou livros em diversos países. Orienta/ orientou mais de 100 dissertações de mestrado (‘pré-Bolonha’) e teses de doutoramento

Professora Doutora Assunção Laranjeira de Almeida

Universidade de Aveiro

Doutorada em Ciências da Saúde pela UA (2008), Mestre em Saúde Publica pela UC (2003); Enfermeira Especialista em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica; Enfermeira Especialista Enfermagem Comunitária e de Saúde Publica; Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica à Pessoa em Situação Crónica. Exerce funções como professora na Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro sendo a Diretora do Curso de Licenciatura em Enfermagem. Tem desenvolvido investigação com vários projetos na área da doença crónica, cuidados paliativos, educação ao doente e família.

Professora Doutora Capitolina Patrícia De Brito António

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Departamento de Economia, Sociologia e Gestão – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Professor Doutor Guilherme Francisco Rosa Monteiro

Instituto Politécnico da Guarda

Doutorado em Relações Internacionais pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Professor no Instituto Politécnico da Guarda. Membro da UDI-Unidade para o Desenvolvimento do Interior.
Foi coordenador da Licenciatura em Comunicação e Relações Económicas e da Licenciatura em Comunicação e Relações Públicas.
Foi Vice Presidente do Conselho Pedagógico da Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do Instituto Politécnico da Guarda.
Frequentou diversas formações na área das Ciências Sociais, Ciências Políticas e Ciências da Comunicação.
Proferiu diversas comunicações em congressos nacionais e internacionais.
Júri de várias provas de estágio para a conclusão final de licenciatura em Turismo, Gestão Hoteleira, Comunicação e Relações Públicas, Comunicação Multimédia e de Cursos Técnicos Superiores Profissionais da área do Marketing ,Comunicação e Ciências Sociais.
Membro de júris de mestrado em Marketing e Comunicação do Instituto Politécnico da Guarda.

Professora Doutora Elisa Gomes da Torre

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Doutorada em Literatura Portuguesa Medieval, em 2004, com dissertação sobre “A construção Literária na Crónica Geral de Espanha de 1344. Interesses/Investigação. literatura medieval. filosofia medieval. edição crítica. Tradução textos latinos. literatura tradicional oral. Tem em fase terminal a tradução para português de Collationes” de Pedro Abelardo, no âmbito das actividades do Instituto de Filosofia. Prepara com Stephen Parkinson (Univ Oxford) a edição e estudo de um currículo quinhentista em latim atribuível a uma figura de vulgo do humanismo english. Preparou a edição crítica de Diálogo de preceitos morais em modo de iogo” de João de Barros, a integrar o projeto “Diálogos Quinhentistas” do Centro de Estudos sobre o Imaginário Literário /IELT/UnL) onde é investigador colaborador.

Professora Doutora Hermínia Júlia De Castro Fernandes Gonçalves

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Departamento de Economia Sociologia e Gestão (DESG), Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Investigadora efetiva do Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento (CETRAD), Diretora do 1º e 2º Ciclo de Serviço Social

Professora Doutora Isabel Cristina Ribeiro Pires

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Licenciada em Medicina Veterinária pela UTAD, em 1995, e doutorada em Ciências Veterinárias desde 2005, é docente de Anatomia Patológica I e II e de Tanatologia Forense na UTAD. Desempenha funções de Patologista no LHAP-UTAD, pertencendo ao Serviço de Necrópsias do mesmo. É autora do Atlas de Anatomia Patológica Veterinária (http://atlas-ap.utad.pt/index.php/pt/), que tem como objetivo divulgar e promover a discussão de casos práticos de necrópsia. Tem ministrado várias palestras acerca da técnica de necrópsia em animais exóticos e selvagens.

Professor Doutor José Augusto Palhares

Universidade do Minho

Departamento de Ciências Sociais da Educação do Instituto de Educação da Universidade do Minho, exerce atividades de docência e investigação nesta universidade desde setembro de 1991. Tem lecionado diversas disciplinas a cursos de graduação e pós-graduação (Formação de Professores, Educação, Sociologia) nas áreas científicas de Metodologia da Investigação Sociologia da Educação, Organização e Administração Escolar, Educação de Adultos. Orientou com sucesso nestas áreas inúmeros relatórios de estágio e dissertações de estrado e em tem em curso atualmente a supervisão de várias teses de doutoramento. Os seus interesses de investigação e de publicação têm-se centrado na sociologia da educação não-escolar (não-formal e informal), na sociologia da juventude e mais recentemente tem privilegiado uma abordagem sociológica das temáticas da excelência e dos resultados escolares na escola pública portuguesa

Professor Doutor Koehnen Timothy

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Os interesses de pesquisa têm sido: desenvolvimento rural e educação de extensão. Essas áreas mencionadas vinculam-se a uma preocupação de cooperação e articulação interorganizacional na área de desenvolvimento rural e agrícola por meio da construção de conselhos consultivos e da implementação de um processo de ação social para aumentar a tomada de decisões nos níveis locais

Professora Doutora Maria Fernanda Santos Martins

Universidade do Minho

Doutorada em Educação, especialização em Organização e Administração Escolar. Coordenadora da Linha de Pesquisa do CIEd: Diversidade, democratização e inclusão social . Lecionou em Universidades Estrangeiras (Faculdade de Educação, Universidade Complutense de Madrid – Programa Esrasmus; Universidade de Timor-Leste). Participa da European Research Network About Parents in Education. É autora de publicações nacionais e internacionais sobre participação parental na gestão escolar, associações de pais, escolha escolar, gestão democrática e gerencialismo. Ela é vice-diretora do departamento de ciências sociais da educação.

Professora Doutora Noêmia De Carvalho Garrido

Fundação Municipal Para Educação comunitária – FUMEC/Campinas -SP- Brasil

Doutorado em Ciências da Educação pela Universidade Trás – Os – Montes e Alto Douro em Portugal. Mestrado em Educação Sócio Comunitária, pelo Centro Salesiano de São Paulo, Campus Americana. Pós-Graduação em Educação Social pelo Centro Salesiano de São Paulo Campus São José – Campinas e em Psicopedagogia pela Faculdade São Luís em Jabuticabal. Possui graduação e Licenciatura em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Atualmente é pesquisadora do grupo GEPLAGE – Grupo de Estudos da Universidade Federal de São Carlos – Campus Sorocaba. Coordena o Grupo Estudos e Pesquisa em Educação Social e Educação de Jovens e Adultos – GEPESEJA, linha de Pesquisa do grupo GEPLAGE/UFSCAR/Sorocaba. Professora da Fundação Municipal para Educação Comunitária – FUMEC de Campinas. Coordenadora do GT2 da Fundação Municipal para Educação Comunitária. Organizadora de vários livros sobre Pedagogia Social e Memorial Paulo Freire: Diálogo com a Educação. Tem larga experiência em Educação de Jovens e Adultos, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação, Formação de educadores, Educação de jovens e adultos, e Educação Social

Professor Doutor Norberto Ribeiro

Investigador

Doutorado em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP). Tem estado ativamente envolvido, desde 2006, em projetos de investigação nacionais e internacionais, financiados pela FCT e pela Comissão Europeia. A sua investigação foca-se sobretudo na educação para a cidadania e na participação cívica e política de jovens, tendo publicado vários artigos científicos sobre esses temas em jornais internacionais de referência, tais como: Journal of Youth Studies, Urban Education, Journal of Political Science Education, European Journal of Developmental Psychology, e Education, Citizenship and Social Justice. É membro integrado do CIIE da Universidade do Porto. Atualmente, é investigador contratado no âmbito do Concurso Emprego Científico Individual, com financiamento da FCT, na FPCEUP.”

Professor Doutor Nuno Abranja

Instituto Superior de Ciências Educativas

Doutoramento em Ciências do Trabalho – Empreendedorismo Turístico. Diretor do Departamento de Turismo do Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE). CEO da empresa de consultoria O Melhor Do Turismo e investigador no Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo (CiTUR). Finalista dos Hospitality Education Awards na categoria de Melhor Carreira de Docente no Ensino Superior em 2019 e 2020.

Professor Doutor Nuno José Corte-Real Correia Alves

Universidade do Porto

Possui Licenciatura em Educação Física, Mestrado em Promoção da Saúde e Doutoramento em Ciências do Desporto pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (2006). Tem experiência na área da Educação Física e do Desporto, na coordenação de projetos na Escola e na Comunidade e na lecionação de diferentes temáticas relacionadas com as ciências do desporto, nomeadamente promoção da saúde e dos estilos de vida saudáveis, psicologia da educação e desenvolvimento positivo através do desporto

Professora Doutora Rita Gisela Martins de Azevedo

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Doutoramento em Estudos Interdisciplinares de género pela Universidade de Salamanca. Professora Auxiliar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. A sua produção científica abrange as áreas: Teatro; Expressão dramática; Pedagogia; Teatro universitário; Valores universais; Jogos dramáticos; Educação e Cidadania.

Professora Doutora Raquel Patrício

Instituto Politécnico de Bragança

Professora adjunta na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), investigadora integrada do Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB) do IPB e investigadora colaboradora na Age.Comm – Instituto Politécnico de Castelo Branco. Doutorada em Ciências da Educação, especialidade Tecnologia Educativa. Investiga nas áreas das tecnologias digitais aplicadas à educação, inovação pedagógica, cidadania, literacia e inclusão digitais, educação intergeracional.

Professora Doutora Sofia Silva

Instituto Politécnico de Coimbra

Doutoramento em Ciências da Educação, Especialização em Educação Permanente e Formação de Adultos, em 2013, pela(a) Universidade de Coimbra; Concluiu o Mestrado em Ciências da Educação, Especialização em Educação de Adultos e Intervenção Comunitária, em 2003, pela(a) Universidade de Coimbra; Concluiu a Licenciatura em Ciências da Educação em 1999 pela(a) Universidade de Coimbra. É Professor Adjunto no(a) Instituto Politécnico de Coimbra desde 2013, Diretora do Curso de Gerontologia Social, de 2013 a 2020, no(a) Instituto

Professora Doutora Victoria Pérez de Guzman

Universidad Pablo de Olavide/ Sevilha

Doutora em Pedagogia, é Professora Titular do Departamento de Educação e Psicologia Social da Universidade Pablo de Olavide (UPO). Tem participado em projetos de investigação nacionais e internacionais. É membro do Grupo de Pesquisa-Ação Socioeducativa (GIAS). Atualmente preside a Sociedade Ibero-Americana de Pedagogia Social (SIPS).

Comissão de Honra

Presidente da Comissão de Honra,
Excelentíssimo Senhor Engenheiro

José Manuel Vaz Carpinteira

Presidente da Câmara Municipal de Valença.

Sua Excelência o Senhor Secretário de Estado da Juventude e Desportos,

Dr. João Paulo Correia

Excelentíssima Senhora Diretora Regional de Cultura do Norte,

Professora Doutora Laura Castro

Excelentíssimo Senhor Presidente da Fundação INATEL,

Doutor Francisco Caneira Madelino

 Excelentíssimo Senhor Presidente não executivo do Conselho de Administração da Caixa Agrícola,

Dr. José Gonçalves Correia da Silva

Excelentíssima Senhora Diretora do Centro de Formação da Associação de Escolas do Alto Tâmega e Barroso

Professora Doutora Maria da Conceição Fernandes Antunes Aleixo

 Excelentíssimo Senhor Diretor do CIEIFM – Centro Internacional de Ensino e Investigação Fernão de Magalhães

Engenheiro Francisco António de Carvalho Esteves

Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Científica do Congresso

Professora Doutora Maria Luísa Monera Olmos-Universidade de Valência;

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Geral da Intervenção

Dr. José Dantas Lima Pereira

Excelentíssimo Senhor Presidente da Direção da Intervenção

Marcelino de Sousa Lopes

Excelentíssima Membro da Coordenação do congresso

Dr. Jorge Ribeiro Areias
Comissão Coordenadora e Executivas

Dr. Jorge Ribeiro Areias

Dr. José Dantas Lima Pereira

marcelino lopes

Prof. Doutor Marcelino de Sousa Lopes.

Comissão Organizadora e de Apoio

Dra. Ana Oliveira

Prof. Doutora Cristiana de Sousa Pizarro Bravo Madureira

Mestre Fernanda Maria Barros da Cunha

Mestre Fátima Machado

Dr. Fernando D.C. Ribeiro

Dr. Francisco Pereira

Animador Gonçalo Morgado

Dr. João Carlos Nascimento

Dr. João Nascimento

Dr. Jorge Ribeiro Areias

Dr. José Dantas Lima Pereira

Dr. José Machado

Dr.ª Manuela Rosa

marcelino lopes

Prof. Doutor Marcelino de Sousa Lopes.

Professora Doutora Maria Lopes de Azevedo

Professora Doutora Maria Lopes Azevedo

Animador Rui Tão

Drª Sara Ruëgg

Mestre Sónia Nogueira

Animadora Tânia Sécio

Questões frequentes

Sim é acreditado pelo Conselho Cientifico-Pedagógico da Formação Contínua. Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119551/23

Para efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do regime jurídico da formação contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9º do Regime Jurídico da Formação Contínua de (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira. Número de horas de formação acreditadas: 35.

– Dossiê do congresso composto por: pasta, diploma de participação com a relação de todo o programa e as horas de formação, bloco de notas, caneta, cartão de identificação…
– Livro do congresso (com + ou – 300 páginas) onde constam todas as comunicações;
– A Assistir a mais de 30 conferências;
– A escolher e frequentar um dos workshops (ou grupo de trabalho) sobre as temáticas do congresso;
– A Assistir aos espetáculos inseridos no congresso;
– A usufruir do direito de adquirir livros editados pela intervenção com um desconto de 50%.

Não. A organização por vezes consegue arranjar alojamento gratuito (em pavilhões que apresentam condições mínimas) e normalmente encontra alojamento e alimentação a preços reduzidos para os inscritos no congresso.

– Por email a: [email protected]
– Através do nosso formulário de contacto;
– Ou contactar o Presidente da Direção pelo telemóvel 933015689

Em caso afirmativo contacte:

– A direção da Intervenção: [email protected]
– O Presidente da Direção pelo telemóvel 933015689

Apoios

3 Dias

10 Workshops

30 Conferências

Certificado

Desenvolver a cultura e pluralizar os seus valores dentro da sociedade!

Centenas de conferências em todo o território nacional e inúmeras ações de formação

Item adicionado ao carrinho.
0 itens - 0.00

Oficinas/Workshops/Mesas redondas

Coordenação

Dra. Sara Ruegg e Dr. Jorge Ribeiro Areias

Grupo de Trabalho

Poder local e associativismo popular

Dinamizador(es)

Dr. Albino Viveiros – Exerce funções como técnico superior de animação sociocultural na Câmara Municipal de Machico.

Sinopse

O objetivo do grupo de trabalho é discutir os níveis de relação de mediação entre o poder local e o movimento associativo popular, um parceiro no âmbito da rede de partenariado e agente de desenvolvimento no território municipal. Será o movimento associativo (in)dependente do poder local? Em que medida as coletividades substituem o poder local em áreas de intervenção como a cultura?

Oficina/Mesa Redonda

O Poder Local e as Associações

Dinamizador(es)

Professor Doutor Artur Cristovão

Sinopse

As organizações da sociedade civil são um elemento fundamental na promoção do desenvolvimento, particularmente ao nível local, onde se tem assistido à emergência de abordagens participativas, envolvendo autarquias, associações e outros atores. Nesta Oficina/Mesa redonda pretende-se trocar experiências quanto ao papel do poder local no apoio aos associativismo cultural, identificando boas práticas de trabalho em parceria.

Oficina / Grupo de Trabalho

Educação e associativismo: um exemplo do Alentejo

Dinamizador(es)

Professora Doutora Lurdes Nico e Professor Doutor Bravo Nico

Sinopse

Na presente oficina de trabalho, proporcionaremos, aos participantes, a oportunidade de conhecerem um caso – SUÃO/Escola Comunitária de São Miguel de Machede – no qual se concretizou um percurso de construção colética e participada de uma infraestrutura comunitária que assegura o exercício de alguns dos mais básicos direitos e deveres de cidadania.

Oficina

Técnicas artísticas para uma educação intergeracional

Dinamizador(es)

Mestre Daniela Mendes e Mestre Luís Carvalho

Sinopse

Pretende-se com a oficina partilhar técnicas e estratégias artísticas a aplicar no âmbito da educação intergeracional contribuindo para o desenvolvimento pessoal e social do indivíduo e do grupo.

Workshop

Como elaborar um projeto de intervenção para uma associação.

Dinamizador(es)

Professora Doutora Jenny Sousa e Mestre Ana Fontes

Sinopse

Esta oficina tem como objetivo central a aplicação da metodologia de projeto na intervenção social, cultural e educativa de uma associação, onde são privilegiadas a metodologia ativa e as técnicas participativas como forma de envolvimento da comunidade no processo do seu próprio desenvolvimento. Nesta oficina serão tidas como ponto de partida as boas práticas partilhadas na comunicação apresentada, e as ações a desenvolver serão levadas a cabo em pequenos grupos.

Workshop

O que é uma boa prática no âmbito Educação Inclusiva?

Dinamizador(es)

Mestre Joana Almeida

Sinopse

Esta oficina tem como objetivo, através de um espaço vivencial, partilhar as nossas histórias; as nossas perceções sobre Educação Inclusiva e desconstruir o que são boas práticas vs. práticas pertinentes. A finalidade é desconstruir protocolos escritos e refletir sobre como cada de um de nós pode ter um impacto relevante no sucesso dos alunos.

Workshop

O cinema como meio de dinamização da realidade associativa. As duas caras da mesma moeda.

Dinamizador(es)

Doutora María Zozaya-Montes

Sinopse

As associações são espaços ideais para participar em experiências cinematográficas. Nesta sessão debatem-se as possibilidades de o cinema dinamizar o mundo associativo: seja como cineclube, seja como cenário de gravação de filmes ou documentários. Como exemplo será projetado o filme «Os patrimónios da sociabilidade I: as associações em Évora», seguido de um debate com a diretora María Zozaya (https://sociabilidad.hypotheses.org/2689).

Oficina

Práticas dialógicas e narrativas para o fomento do associativismo e da educaçao para a cidadania.

Dinamizador(es)

Professor Doutor Mario Viché González
Professora Doutora Cristiana Pizarro Madureira